Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pink Ego Box

Pink Ego Box

13
Mai15

in my head today #90

 

Hoje não se fala de outra coisa.... do vídeo que mostra duas miúdas de 16 anos que durante 13 minutos esbofeteiam um miúdo da mesma idade.

  Eu vi um bocado do video da agressão e ocorreram-me várias coisas ao vê-lo e ao ler os comentários da "notícia", que é uma coisinha que ora me faz rir ou chorar, consoante a parvoíce.

É o seguinte: Cenas como aquelas acontecem todos os dias, nos mais variados sítios, infelizmente. A palavra bullying já se tornou uma constante no nosso vocabulário e, apesar de há uns anos atrás não ter um nome específico, também já existia. A diferença é que hoje em dia as criaturas que o praticam filmam-no com o telemóvel, colocam no youtube, no FB... Fazem daquilo um troféu que prova que são uns seres badass e vivem de peito inchado com um ar de ai-de-quem-se-meta-comigo. O twist da coisa é que filmar e publicar torna tudo mais grave, mas também mais fácil de identificar os idiotas e ter provas concretas para uma acusação de agressão (ao menos isso).

 Não obstante, é possível que aquelas pirralhas, com tanto circo á volta deste vídeo que se tornou viral, se terem tornado umas autênticas estrelas de Hollywood...o protagonismo também é um troféu, nestes casos.

O que eu penso? Bem, paizinhos, estão a fazer um trabalho 5 estrelas a educar pessoas assim, tão fofinhas. Carry on! 

De resto, espero que sejam castigadas exemplarmente, claro, e que sirva de lição para outros.

 Sofri de bullying quando tinha mais ou menos a mesma idade e posso dizer que ver isto faz borbulhar sentimentos de frustração e raiva. Não percebo, nunca perceberei atitudes destas. Mesmo que seja "uma brincadeira".

É estúpido. Ponto.

 

 

 

 

26
Mar15

das coisas tristes

 

 

kl.png

 Estas notícias colam-me ao chão. Não consigo imaginar sequer a dor das famílias que perderam um pai, uma mãe, um filho (...)

 A ser verdade, penso no que terá passado pela cabeça daquela pessoa. Penso que não tinha o direito de o fazer. 150 pessoas. 150. Desapareceram para sempre sem uma única justificação.

 Um acidente, por muito difícil que seja lidar, eventualmente há aceitação, mas isto? Como se lida com algo assim? É tudo muito retorcido e sombrio para ser absorvido...

 Penso depois na vontade que tenho de viajar e que estas coisas me deixam de pé atrás, mesmo muito reticente em meter-me num avião, em colocar a minha vida nas mãos de alguém que não conheço, que pode estar com problemas pessoais, que pode ser um psicopata, um terrorista... Como fazê-lo e pensar descontraídamente "Vai correr tudo bem" ? Provavelmente as pessoas que estariam naquele voo achariam o mesmo...que correria tudo bem.

Não é o primeiro caso nestes moldes, será o último...?

 

 

 

(Clicar na imagem para ver a notícia na íntegra.)

 

sobre

foto do autor