Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pink Ego Box

Pink Ego Box

13
Mai15

in my head today #90

 

Hoje não se fala de outra coisa.... do vídeo que mostra duas miúdas de 16 anos que durante 13 minutos esbofeteiam um miúdo da mesma idade.

  Eu vi um bocado do video da agressão e ocorreram-me várias coisas ao vê-lo e ao ler os comentários da "notícia", que é uma coisinha que ora me faz rir ou chorar, consoante a parvoíce.

É o seguinte: Cenas como aquelas acontecem todos os dias, nos mais variados sítios, infelizmente. A palavra bullying já se tornou uma constante no nosso vocabulário e, apesar de há uns anos atrás não ter um nome específico, também já existia. A diferença é que hoje em dia as criaturas que o praticam filmam-no com o telemóvel, colocam no youtube, no FB... Fazem daquilo um troféu que prova que são uns seres badass e vivem de peito inchado com um ar de ai-de-quem-se-meta-comigo. O twist da coisa é que filmar e publicar torna tudo mais grave, mas também mais fácil de identificar os idiotas e ter provas concretas para uma acusação de agressão (ao menos isso).

 Não obstante, é possível que aquelas pirralhas, com tanto circo á volta deste vídeo que se tornou viral, se terem tornado umas autênticas estrelas de Hollywood...o protagonismo também é um troféu, nestes casos.

O que eu penso? Bem, paizinhos, estão a fazer um trabalho 5 estrelas a educar pessoas assim, tão fofinhas. Carry on! 

De resto, espero que sejam castigadas exemplarmente, claro, e que sirva de lição para outros.

 Sofri de bullying quando tinha mais ou menos a mesma idade e posso dizer que ver isto faz borbulhar sentimentos de frustração e raiva. Não percebo, nunca perceberei atitudes destas. Mesmo que seja "uma brincadeira".

É estúpido. Ponto.

 

 

 

 

24
Fev15

há coisas do demo

 
Certamente já terão ouvido o zum-zum acerca de uma tal barbearia em Lisboa, uma tal de Figaro's, que resolveu colocar um cartaz na montra a proibir a entrada a mulheres. Apenas entram homens e...cães.
Se isto não é logo assim, de chofre, um pôr-se a jeito para olhares de esguelha e indignação, não sei o que será.
 Para além de colocar as mulheres numa categoria inferior aos animais (não desfazendo os pobres animais, claro está), impede-lhes a entrada como portadores de alguma doença contagiosa de que os senhores querem ficar longe.

Há relatos de mulheres que foram expulsas desta barbearia por...serem mulheres(?).


Ora...mas no fundo o que é isto? Um clube de cavalheiros? Uma sociedade secreta? Um vamos-lá-separar-as-águas-porque-as-mulheres-não-cortam-a-barba?
Eles chamam-lhe conceito, eu chamo-lhe nonsense.

 Para mim isto é um grupo de cavalheiros que se acham uns hipster e foram buscar os ideais de alguns séculos atrás, quando às senhoras nada mais era permitido do que cozinhar e tratar dos filhos enquanto eles se refastelavam nas poltronas com um brandy e charuto. (Eles, senhores, elas, invisíveis.)

 Sim, eu sei, de facto as mulheres não cortam a barba, mas e se quiserem entrar? Acompanhar o pai, o filho ou amigo? Não podem entrar? Têm de ficar à porta, como ainda faz com os animais, em muitos sítios?

 É um golpe de marketing para atrair homens que tal como eles ainda pensam que as mulheres pertencem na cozinha e os gaijos têm de se unir num clube(?). Ou na barbearia, dá no mesmo.

 Houve que dissesse que proibir as mulheres de entrar neste estabelecimento era "o mesmo nos ginásios para mulheres". Oi? Vamos explicar uma coisa- Os homens podem entrar nos ginásios femininos, não são expulsos se lá entrarem...não podem é frequentá-los. Percebido? São coisas diferentes.

 Se isto é uma brincadeira- é de mau gosto. Se é uma posição, é condenável. Se é uma manobra de marketing, é brilhante. Porca, mas brilhante, pois representa um retrocesso.

 Há-que pensar no legado que se deixa, meus amigos. Há-que pensar nas nossas (vossas!) avós, bisavós que lutaram para que as mulheres pudessem trabalhar, votar...serem vistas. Todo esse pensamento é um grande retrocesso e não só o achar isso como passa-lo aos jovens, crianças...é um grande erro.

 No passado sábado um grupo de pessoas associado a um blog chamado Interpolação invadiu a dita barbearia com máscaras de cães (já que só eles poderiam entrar) para marcar uma posição.

 Não houve violência, não houve troca de galhardetes da parte desde grupo, apenas o acto era manifestação suficiente.

 O que é que eu acho? Acho bem.

 Acho que atitudes misóginas, como este grupo muito bem designou, são uma vergonha para jovens adultos que deveriam promover a igualdade e não a diferença, a segregação.

 Apetece perguntar- Vocês não têm mãe? Não têm irmã? Filha? Aliás, é isso que vão ensinar às vossas filhas? Que são inferiores? Que não têm os mesmo direitos? Que ocupam um lugar diferente do dos homens...?

É muito triste que coisas destas ainda aconteçam, de facto.

É triste saber que pessoas ainda acham que as mulheres são o sexo fraco, inferior...

Seres parideiros, que vivem apenas com um ou outro propósito sem grande relevância, ao contrário do sexo masculino.

 

É...o mundo ainda tem muito que evoluir.

 

 

 

08
Fev15

random things #33

 

 

 

IMG_20150208_232451.JPG

 

Ah e tal, chá de macarons de limão, tão fixe (vamos ignorar por um momento as porcarias que isto deve ter lol), isto deve ser óptimo e eu adoro macarons.... Não. A sério.

Se gostam que os vossos sentidos fiquem confusos e de repente achem que estão a "beber" massa de bolos, força, é o vosso cup of tea...(lol) Mas se não...não experimentem.

Bleh.

 

 

27
Dez14

Christmas time: the day after.

O natal já lá vai, e o dia depois, para mim, é sempre estranho.

Num dia temos a casa cheia de família, amigos e penetras lol, e no outro temos a casa em pantanas; papéis de embrulho amarrotados, loiça pousada em vários sítios, garrafas vazias das mais variadas bebidas alinhadas na mesa, restos de doces natalícios... No entanto a casa está...vazia. Já não há aquela azáfama que antecede o natal, o barulho de uma dúzia de pessoas à volta da mesa de jantar...

A calma sabe sempre bem depois de uns dias atarefados, mas o natal deixa sempre um sabor meio amargo. Demasiada antecipação para algo que acaba tão depressa e ficamos com uma casa inteira para arrumar. Lol

Os presentes foram bons, recebi tudo o que precisava (e queria! ), tive um bocadinho com a namorada no dia 25 (soube a pouco, mas é muito bom podermos fazê-lo), ri-me, bebi, tentei aproveitar e não pensar muito no que está mal e no que não posso mudar...correu bem.

Para o ano há mais.

IMG_20141226_235402.JPG

 

21
Set14

pois, eu sei, a vida tem destas coisinhas, mas...

 

 

 

...não há quem aguente outra casa dos degredos. A sério.Vão ser meses e meses de conversas de paragem de autocarro, onde só se vai ouvir falar disto... De pseudo-notícias nos jornais acerca dos concorrentes, das suas vidinhas-que-não-interessam-a-ninguém-a-não-ser-a-si-próprios...

Eu pergunto: Não há mais nada na tv para verem? A Rtp2, o Discovery, a Fox, o Disney Channel(!), whatever...qualquer um...? Só não deêm audiências a programas que emburrecem pessoas. Please.

 

Uff.

 

 

*Edit-22/09 *

A namorada chamou-me agora a atenção que de momento a app mais descarregada na Apple Store é mesmo a da casa dos degredos. 

É preciso dizer mais? Pois.

 

 

 

 

 

 

23
Jun14

nota de rodapé

 

 

 Acho óptimo as pessoas quererem apoiar a seleção de futebol, de serem patriotas, torcer pela equipa e bla, bla, bla...(para mim é-me mesmo indiferente fazerem-no ou não, leia-se), mas por amor de deus, se querem pôr a bandeira na janela...ponham-na bem! Farto-me de ver bandeiras ao contrário e de pernas para o ar. Não sabem ou não querem saber o modo correto??

Enfim.

 

lol

03
Abr14

isto passou-me agora pela cabeça #3

 

 

 ...detesto que as pessoas confundam "dieta" com "alimentação saudável" ou "estilo de vida saudável". É que não tem mesmo nada a ver.

E explicar que eu não como porcarias porque fazem mal e não porque "engordam"?

Sim, eu não como um palmier recheado todos os dias (como as pessoas à minha volta) porque sei a quantidade de ingredientes prejudiciais que tem e não porque engorda. Prefiro levar fruta de casa. Mas a justificação não é percebida. Ah, e pelos vistos quem bebe chá verde é porque quer emagrecer. É inconcebível alguém- god forbid - gostar de chá verde! A sério, debaixo de que pedra as pessoas andam a viver..?

 

 

 

 

 

17
Jan14

das opiniões

 

 

 A propósito do falado referendo li esta opinião muto louvável, a meu ver, do jornalista Carlos Mariano no blog aBica.

 

 

"Referende-se a Família

 

 Temas fracturantes. É assim que lhe chamam os senhores que querem levar a referendo a questão da co-adopção. A possibilidade de um casal homossexual poder adoptar uma criança. Se for um homossexual solteiro, tudo bem, que ninguém tem nada a ver com isso, agora um par de mariconços ou de fufas…

Os termos são ofensivos, eu sei. Peço desculpa. Estou apenas a reproduzir os mais meigos dos títulos que tenho coleccionado pelas caixas de comentários de redes sociais, blogues ou sites de jornais. Só para contextualizar. Só para que alguns dos brihantes humanistas que ali descarregam o esterco que guardam nas cabecinhas percebam do que estou a falar.

Afinal, falo de filantropos, de seres humanos generosíssimos e preocupados com o bem-estar das crianças que poderão, caso a co-adopção por homossexuais impere, ser, Deus nos guarde…adoptados.

Imagine-se, crianças que estão tão felizes em instituições, abandonadas pelos pais, à partida, heterossexuais (há excepções ao sagrado imperativo biológico, acreditem) serem adoptadas por larilas ou sapatonas. Sim, mais uma amostra do meu levantamento onomástico-vernacular.

Falo de filantropos e humanistas porque os senhores deputados do PSD e a malta que lhes dá suporte ideológico-eleitoral dizem que o que os move são “os direitos das crianças”. Abro um parêntesis para explicar que acredito que a estupidez humana é absolutamente democrática e não escolhe partidos ou cores políticas. Mas, no que diz respeito a questões primas da “moral e bons costumes”, tem pasto largo na Direita do espectro político.

Mas dizia que o que move estas almas são os direitos das crianças, que não são “tidas nem achadas” e que podem ser adoptadas por estes anormais (também gosto muito deste termo).

É, portanto lícito dizer que estes senhores acham que as crianças devem ter “um pai e uma mãe” e não dois pais ou duas mães. Este é, textualmente, o argumento que li repetidamente no safari cibernáutico que empreendi nos últimos dias.

E porquê? Porque é o modelo que garante, acima de tudo, o equilíbrio das crianças. Porque, como toda a gente sabe, Charles Manson, Adolfo Hitler, José Estaline e Jack o Estripador, todos foram criados por casais gays. Ah não? Ok, do Jack não sei, assumo. Mas sabem que nós, pseudo-intelectuais de esquerda adoramos falsos argumentos.

Como a deputada do PS, a Isabel Moreira, que se opõe a um referendo porque, diz ela, as minorias não devem ir a referendo.

Ora essa…e a Democracia?!, brada-se por aí. E os direitos fundamentais?! Então, eu, empregado de escritório, sócio do Benfica, heterossexual, casado e com dois filhos não posso decidir se um casal homossexual pode adoptar? Como se eu não tivesse a ver com isso! Como se isso não fosse fundamental para a minha vida! Cambada de fascistas!

O corte de pensões e subsídios, o aumento de impostos? Não, isso não queremos referendar. Isso não nos diz respeito. Agora se as bichas adoptam…ah, venha de cá esse boletim!

Não, ninguém tem nada a ver com isto. Ninguém se não eles. Os pais e os putos.

Sim, esses. Os putos que enchem as instituições. Para mim, se fosse possível referendar isto, só eles deviam votar. Mas fazemos um exercício: vão à instituição mais próxima e perguntem-lhes. Perguntem aos que lá estão há anos e veem partir os amigos um após o outro, que não se lembram da cara dos pais biológicos, que sonham com um tecto só deles e em ter uma família que os ame. Perguntem-lhes se se importam de ter dois pais ou duas mães. Perguntem-lhes o que é que eles querem.

Temas fracturantes? Experimentem corações partidos. É mais disso que estamos a falar."

 

 

 

É pena não ser esta uma opinião da maioria que gosta de andar por aí a mandar umas postas de pescada, mas é daquelas que vale mesmo a pena ler.

 

 

 

 

10
Dez13

o natal está por todo o lado. literalmente.

 

 

 Quando chega o natal sou mais que requisitada para ajudar a escolher os presentes. É a mãe a pedir ajuda para comprar o presente do pai, é o pai a pedir ajuda para comprar o presente da mãe, é a irmã a pedir ajuda para comprar o presente da mãe e do pai!! lol Não é para me gabar, mas tenho bom gosto (LOL), mas dá uma trabalheira desgraçada. Ainda me falta comprar o presente para a mãe da namorada e ainda tenho de ajudar a escolher presentes esta semana! O Natal é só dia 25, mas durante o mês quase todo há tarefas relacionadas com ele para fazer! A árvore, os presentes, as compras, o escolher a ementa da consoada e do dia...por aqui até temos de mudar certos móveis de sítio porque somos umas 15 pessoas à mesa...há-que criar espaço suficiente! lol É um mês em que parece não sobrar tempo para mais nada, por incrível que pareça. E quanto mais perto estamos do(s) dia(s), mais parece haver para fazer! É uma época porreira e tal, mas cansa-me. lol

 

 

 

 

 

 
 
lol

 

 

sobre

foto do autor