Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pink Ego Box

Pink Ego Box

03
Nov20

after all this time (...) #5

Saudades? Sim.

Da pessoa. Da amizade. Do tamanho conforto que é conhecer alguém e de que alguém nos conheça tão profundamente..quase tanto como nós próprios. 

Sabem quando sabemos de algo mesmo, mesmo porreiro e sabemos que aquela pessoa também adorava e pensamos imediatamente nela, e....pois.

Não vou ser hipócrita - eu sei. 

Eu sei.

Isso que estão a pensar? Sim, eu sei. Não sou nenhuma vítima.

Depois o pensamento que me assalta é: "Eu mudei".

E ela também. Porque teve de ser.

 

(...)

 

 

02
Nov20

after all this time (...) #4

Apesar de tudo, a preocupação nunca me largava. E quando digo nunca, é mesmo nunca.

Estava constantemente preocupada com quem deixei...estaria bem, estaria a sofrer muito? E apesar de saber que a resposta seria, quase de certeza, afirmativa, rezava para que ficasse bem. Torcia para que doesse um bocadinho menos a cada dia. Pedia para que fosse muito feliz. Que encontrasse quem lhe pudesse dar o que eu não pude.

Pedi muito.

Porém, não posso esconder que a ausência doía muito. Dói.

Não poder dizer-lhe uma palavra.

Não poder dizer-lhe que me lembrava dela a cada pequenez que alguma vez partilhámos.

Os filmes do Harry Potter não eram os mesmos;

Nunca mais vi o "Moulin Rouge";

A Teoria do Big Bang não tinha a mesma graça;

Ir a uma praia era sempre estranho.

Tantas e tantas outras coisas tão nossas.

A impossíbilidade de uma amizade matou-me por dentro.

 

"Tu mereces", penso.

 

(...)

 

30
Out20

after all this time (...) #3

Foram semanas, meses de dúvidas. De angústias. De crises de choro seguidas de certezas absolutas minadas de réstias de incertezas que (eu) transformava em verdades.

Os "nós" que sentia na garganta aliviaram durante algum tempo. Tempo suficiente para acreditar que o caminho por mim traçado era o meu caminho. Que estava certa.

Cada passo que dava era arrancado a ferros, e continuava a dizer a mim mesma que estava onde queria e devia estar.

Olhava para trás e sustinha a respiração. Parecia tudo tão surreal. Como tinha chegado ali?

(...)

Por fim, fechei a porta... 

Parecia um alivio, no entanto não o sentia assim.

Sentia-me egoísta. Má. Vazia. Dividida.

Podemos nós definirmo-nos apenas por um acto? Porque a partir dali só me consiguia definir por aquela pessoa. A pessoa que deixou tudo para trás. A que magoou. A que errou.

É engraçado como um único acto nos pode marcar para todo o sempre, mudar completamente a nossa essência. Como se fosse uma implosão do nosso ser...sem possibilidade de voltar atrás.

E é.

 

(...)

 

 

 

 

 

29
Out20

after all this time (...) #2

Não sei porque simplesmente não virei costas, naquela altura.

Não sei porque me deixei ir numa onda que, habitualmente, não me teria deixado ir.

A dada altura senti que comprometi todos os valores que sempre defendi (e ainda defendo) e no que acreditava (e ainda acredito).

Mas continuei. 

Sentia-me viva (ainda sinto?).

Quando teria morrido..?

Que estranho era caminhar para o desconhecido, largando, lentamente, o que sempre conheci.

 

(...)

 

 

28
Out20

after all this time (...) #1

Não consigo apontar um momento. Um momento em que diga que tudo terminou ali. 

Não sei se me deixei levar por alguma coisa que me parecia tão diferente daquilo que conhecia, ou se simplesmente, a dada altura, deixei de usar o bom senso.

Sei apenas que tudo na minha cabeça, na minha vida, deixou de fazer sentido. Parecia presa numa realidade que não era minha, na qual não queria estar, onde tudo o que conhecia até então era-me...estranho.

Quando é que me tinha tornado esta pessoa inerte, com este enorme vazio dentro de mim? Não me conhecia. Sentia que não estava a viver a minha vida. Não me sentia livre, e curiosamente, ninguém me estava a prender senão eu. 

Estava tão infeliz em tantos aspetos da minha vida... Por não ser nada do que eu tinha imaginado para mim. Sentia uma enorme dormência e passividade em relação a tudo. Tinha desenvolvido uma capacidade extraordinária para ignorar os problemas, para fingir que não estavam lá, que passou a ser algo natural, para mim.

Ainda hoje, há momentos que para mim são uma espécie de "borrões" no tempo. Pequenos fragmentos de memória que não têm contexto ou aos quais faltam partes.

Sei apenas que queria sentir.

E isso tanto fazia sentido, como não fazia nenhum.

(...)

Escondi-me e fugi como pude. De tudo o que sentia. De tudo o que a minha cabeça me dizia. Do que o meu coração me dizia...

Lembro-me de que não conseguia dormir.

De não conseguir comer.

Do mal que estava a fazer (nos).

 

(...)

 

23
Dez15

É Natal

 

 

 

 

 Apesar de "não pôr aqui os pés" há imenso tempo, não podia deixar de desejar um Feliz Natal a que aqui costumava aparecer (ou que ainda vão espreitando).

 Desculpem andar desaparecida, não comunicar, tão pouco visitar os vossos blogs, mas é como disse há um tempo atrás, não ando com inspiração ou vontade de blogar...enfim. Por agora manter-se-á assim, não faço promessas ou planos de voltar com mais frequência, mas hey, caso volte...voltem também! :)

 

Um Feliz Natal para tod@s.

 

 

15
Set15

in my head today #93

Não, não me esqueci que tenho um blog nem nada que se pareça, e se vim aqui é porque sinto que, de alguma forma, devia uma justificação a quem aqui passa. A verdade é que tenho andado afastada da blogosfera por completo.. Não me tem apetecido escrever nada por aqui, nem ler o dos outros...não é por mal, mas a minha cabeça tem andado por outros sítios.. A vida lá deu umas voltas e cambalhotas, entre uns meltdowns e uns estados mais alterados, vou tentando andar à tona. Uma formação para um novo emprego anda a deixar-me entre um terror profundo e a expectativa de algo positivo para mim, mas a minha cabeça é território de combate nestas situações e sinto este misto de sentimentos difícil de gerir. Sou fraquinha, é verdade, cedo com a pressão, preciso que me segurem a mão e me digam que vai correr tudo bem, mas creio que é o pior defeito que tenho.... (podia ser pior.. ) Espero que as coisas acalmem, que tudo entre nos eixos...enfim, que tudo corra bem. Desejem-me sorte e entretanto espero voltar aqui ao cantinho com mais frequência... Bjs a tod@s!